Pós-graduada em Meio Ambiente e Sustentabilidade pela FGV, a paixão de Cinthia Porto é Sustentabilidade, Meio Ambiente, Economia Circular e ODS. Agora se especializa como Desenvolvedora de Novos Negócios na eureciclo. Foi um prazer conversar com você esta semana, Cinthia.

#SheLeadsTheChange

  • Qual é a sua principal missão dentro da eureciclo?
Minha principal missão é conectar os fabricantes, importadores e distribuidores de embalagens com as centrais de triagem de materiais recicláveis pós-consumo, como também aos recicladores, para que juntos possamos fomentar e formalizar toda a cadeia da reciclagem, praticando a logística reversa e gerando impactos positivos a todos os atores.
  • Como ela contribui para o meio ambiente?
A missão da eureciclo é elevar as taxas de reciclagem do Brasil. Hoje, reciclamos cerca de 3% do que é produzido. Esse número mostra que o mercado ainda pode ser muito desenvolvido, há muito para evoluir.
Temos muitos desafios, como a dimensão do país – que dificulta a logística, a educação ambiental dos consumidores, a falta de fiscalização das legislações e ainda há mais um gargalo, na triagem dos materiais recicláveis (plástico, vidro, papel e metal), que também precisam apresentar viabilidade econômica para o processo. Sem isso, os operadores não têm vantagens para recolher, separar e vender o resíduo para a indústria transformadora.
Os Certificados de Crédito de Reciclagem, comercializados pela eureciclo para mais de 6mil clientes, em todo o país, são importantes e transformadores nesse contexto. Eles são vantajosos para o meio ambiente e para a cadeia de reciclagem como um todo.
Com estes documentos, é possível entregar mais valor econômico aos materiais, para que eles sejam triados e comercializados com custo-benefício vantajoso, aumentando a rendados agentes. Assim, garantimos a destinação adequada e a reinserção na cadeia produtiva, evitando a extração de recursos naturais como matéria-prima na fabricação de novos itens.
Vale destacar que todo o processo descrito acima contribui com um desenvolvimento sustentável e é um incentivo para a economia circular, com benefícios para o meio ambiente e para profissionais do setor.
  • Você poderia nos dizer mais sobre sua experiência e por que você optou por se concentrar na economia circular?

Sou advogada por formação, mas atuei muito pouco na área. Logo fui trabalhar fazendorelacionamentos, como atendimento a empresas em agências de incentivo. Depois, fui parao ramo do entretenimento desenvolvendo projetos de eventos e, nesses eventos, eu sempre me incomodei muito com a falta de gestão de resíduos. Entendi que temos muito oque trabalhar com relação à educação e conscientização ambiental e, depois que virei mãe, comecei a me preocupar cada vez mais com que mundo eu iria deixar para a minha filha.Então, comecei a pensar em como eu poderia contribuir para a geração dela e as próximas gerações. Assim, conheci a Economia Circular e me apaixonei completamente.

  • Que outras mulheres te inspiraram em sua carreira?
No cenário global, a Ellen Macarthur, da Ellen MacArthur Foundation. No Brasil tenho admiração pela Carol Piccin, da MateriaLAB, Tania Sassioto e Marcella Bueno, da eureciclo, Rhariane Ornelas, da Coopercaps e tantasoutrasque trabalham todos os diaspela transição da Economia Linear para a Economia Circular.
  • Que conselhos você daria à mulheres que pretendem conquistar uma carreiracom sucesso?
Que sonhem, tracem um plano/estratégia, estudem e busquem aquilo que desejam! Épossível
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.